Postado em 15 de Julho de 2016 às

Brasil deve crescer 104% em pesca e aquicultura até 2025.

CleanTec do Brasil m âmbito global, a produção aquícola deve crescer até alcançar 195,9 milhões de toneladas em 2025, um aumento de 17% em comparação à produção...

m âmbito global, a produção aquícola deve crescer até alcançar 195,9 milhões de toneladas em 2025, um aumento de 17% em comparação à produção de 2013/15, de 166,8 milhões. A informação é do novo relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) “O Estado Mundial da Pesca e Aquicultura 2016 (Sofia)”.
Este mesmo estudo aponta que o Brasil deve registrar um crescimento de 104% na produção da pesca e aquicultura até 2025, sendo o aumento na produção brasileira o maior até o momento, na região da América Latina e Caribe, seguido de México (54,2%) e Argentina (53,9%).
O crescimento verde amarelo na produção é projetado de 1,3 milhão de toneladas, observados no período de 2013 a 2015, para 1,9 milhão em 2025. O valor corresponde a 2% dos 11,7 milhões de toneladas de todo o mundo. O líder é a China, com 2,2 milhões de toneladas. leia mais...

Veja também

Fronteiras da América orienta sobre reprodução e produtividade na pecuária.05/09/17 Como parte do evento “Fronteiras da América”, idealizado pela Biogénesis Bagó (Curitiba/PR) para encorajar os produtores a melhorar seus índices de produtividade explorando todo o potencial de suas propriedades, o workshop “Produtividade e Reprodução: desafio, oportunidades e suas fronteiras” será realizado nesta quarta-feira (06) em São......
Carne Angus Certificada chega em Rondônia marcando expansão na região Norte.18/01/17 Depois de consolidar a produção de cortes de alta qualidade em outros oito estados brasileiros, o Programa Carne Angus Certificada chegou a Rondônia marcando sua expansão na região Norte do Brasil. O primeiro abate oficial......
Avicultura industrial de SC enfrenta dificuldades no mercado mundial.16/11/16 Avaliando o cenário mundial, o presidente da Associação Catarinense de Avicultura (ACAV, Florianópolis/SC), José Antônio Ribas Júnior, elenca as deficiências infraestruturais e a pesada carga......

Voltar para Notícias