Postado em 01 de Junho de 2017 às

Comercialização pecuária segue cautelosa em razão de insegurança nacional.

CleanTec do Brasil De acordo com informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea, Piracicaba/SP), a comercialização segue lenta no mercado pecuário em razão da cautela dos...

De acordo com informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea, Piracicaba/SP), a comercialização segue lenta no mercado pecuário em razão da cautela dos agentes em relação aos cenários político e econômico do Brasil. Os dados apontam que os pecuaristas têm optado por vender apenas o necessário, a fim de evitar exercer maior pressão sobre o mercado.
Por sua vez, os frigoríficos que têm participado de maneira mais ativa do mercado também evitam alongar as escalas. O motivo é que a crença de que, com o passar do tempo, os preços do mercado bovino possam ceder ainda mais. Leia mais...

Veja também

Empresa de genética cria porcos resistentes à doença da orelha azul.11/12/15 A empresa de genética animal Genus, da Inglaterra, criou os primeiros porcos do mundo com resistência ao vírus da Síndrome Reprodutiva e Respiratória dos Suínos (PRRSv, em inglês), também conhecido como a “Doença da Orelha Azul”. A companhia trabalhou juntamente com a Universidade do Missouri, dos Estados Unidos, para desenvolver porcos......
Margens dos frigoríficos encerram ano empatando com 2015.12/01/17 Os frigoríficos conseguiram terminar o último ano com margens de comercialização praticamente iguais às de 2015 e superiores às de 2014. A economia do País recuou quase 8,0% depois de dois anos de......
Brasil doa 500 mil euros para ações mundiais contra enfermidades.27/09/16 Aprovado por unanimidade, o montante de 500 mil euros (cerca de R$ 1,805 milhão) será enviado ao Fundo Mundial da Organização da Saúde Animal (OIE) pelo Fundo Emergencial de Saúde Animal (Fesa) do Estado de Mato......

Voltar para Notícias