Postado em 22 de Setembro de 2016 às 09h43

Produção de aves e suínos deve diminuir e pressão do milho desacelera.

CleanTec do Brasil Reduziu a pressão sobre o cenário de abastecimento de milho para as cadeias produtivas de aves e suínos, a partir do início do segundo semestre. Isso é o que afirma o presidente-executivo da...

Reduziu a pressão sobre o cenário de abastecimento de milho para as cadeias produtivas de aves e suínos, a partir do início do segundo semestre. Isso é o que afirma o presidente-executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA, São Paulo), Francisco Turra, após a desaceleração da produção das duas cadeias, detectada com base em acompanhamento realizado junto às agroindústrias do setor.
Segundo Turra, há expectativa de que a demanda por milho seja reduzida em mais de 1 milhão de toneladas no total de 2016, frente às previsões de retração da produção no segundo semestre já constatadas pela ABPA em julho.
Na ponta da proteína, neste ano, a produção de carne de frango em 2016 deverá ficar em 13 milhões de toneladas (4% menor que as 13,5 milhões de toneladas previstas no início deste ano) e a de carne suína, em 3,64 milhões de toneladas (inferior à previsão de 3,76 milhões apresentadas em janeiro). Esta perspectiva parte das estratégias adotadas por diversas empresas para diminuir o ritmo da produção, como a suspensão de turnos de trabalho, encerramento de atividades de plantas e outras decisões no âmbito produtivo. Leia mais...

Veja também

Mudanças climáticas poderão ocasionar perdas na avicultura.23/12/15 Dentro da avicultura, animais adultos são sensíveis a altas temperaturas e podem apresentar mortalidade acima de 38ºC de temperatura ambiente. Motivo mais do que suficiente para que os criadores fiquem atentos, já que a próxima estação climática promete altas temperaturas ainda neste mês. O estresse por calor é responsável por grandes......
MAPA anuncia nova forma de cortes para carne in natura exportada aos EUA.05/07/17 O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA, Brasília/DF), por meio de memorando do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), determinou aos frigoríficos os novos cortes para......
Melhora no consumo da carne bovina potencializa preços no atacado.27/12/16 O boi casado de animais castrados está cotado em R$10,01/kg. Desde o início do mês, a valorização foi de 3,8%. A alta foi puxada pelo traseiro e ponta de agulha, cujas vendas aceleraram mais em relação ao......

Voltar para Notícias