Postado em 13 de Fevereiro de 2017 às

Queda do dólar 'espreme' frigoríficos exportadores.

CleanTec do Brasil A depreciação do dólar perante o real segue dificultando o desempenho dos frigoríficos exportadores neste início de 2017. Entre as principais proteínas exportadas pelo Brasil, somente...

A depreciação do dólar perante o real segue dificultando o desempenho dos frigoríficos exportadores neste início de 2017. Entre as principais proteínas exportadas pelo Brasil, somente a carne de frango conseguiu compensar, com preços mais altos em dólar, a valorização da moeda brasileira. Nos casos das carnes bovina e suína, ou o aumento foi insuficiente ou houve queda de preços na exportação.

Em janeiro, a cotação média do dólar comercial recuou 4,5%, para R$ 3,1969. Em fevereiro, a queda se aprofundou. Na sexta-feira, o dólar fechou a R$ 3,1097. No mês passado, o preço médio da carne de frango in natura exportada pelo Brasil aumentou 5,7% em relação a dezembro, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic). Leia mais...

Veja também

Paraná alcança alta de 90% em exportações avícolas para a China.02/12/16 Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), vinculada ao Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC, Brasília/DF), as exportações avícolas do Paraná para a China aumentaram 90% em um ano. Aquele país é um dos principais parceiros do agronegócio brasileiro. Até outubro de 2016, foram......
Mudanças climáticas poderão ocasionar perdas na avicultura.23/12/15 Dentro da avicultura, animais adultos são sensíveis a altas temperaturas e podem apresentar mortalidade acima de 38ºC de temperatura ambiente. Motivo mais do que suficiente para que os criadores fiquem atentos, já que a......

Voltar para Notícias