Postado em 13 de Fevereiro de 2017 às

Queda do dólar 'espreme' frigoríficos exportadores.

CleanTec do Brasil A depreciação do dólar perante o real segue dificultando o desempenho dos frigoríficos exportadores neste início de 2017. Entre as principais proteínas exportadas pelo Brasil, somente...

A depreciação do dólar perante o real segue dificultando o desempenho dos frigoríficos exportadores neste início de 2017. Entre as principais proteínas exportadas pelo Brasil, somente a carne de frango conseguiu compensar, com preços mais altos em dólar, a valorização da moeda brasileira. Nos casos das carnes bovina e suína, ou o aumento foi insuficiente ou houve queda de preços na exportação.

Em janeiro, a cotação média do dólar comercial recuou 4,5%, para R$ 3,1969. Em fevereiro, a queda se aprofundou. Na sexta-feira, o dólar fechou a R$ 3,1097. No mês passado, o preço médio da carne de frango in natura exportada pelo Brasil aumentou 5,7% em relação a dezembro, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic). Leia mais...

Veja também

Sucessão familiar será um dos nortes do Congresso das Mulheres em outubro.16/06/17 Nos dias 17 e 18 de outubro o 2? Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio leva ao Transamerica Expo Center, em São Paulo (SP), mais de 35 palestrantes de todo o Brasil para a realização de 15 workshops práticos, plenárias, debates e cases de sucesso. A maioria dos temas que serão apresentados no encontro atende às necessidades do mercado e foram......
Aumento nos custos de produção em 2016 desafiou produtor de leite.25/10/16 A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA, Brasília/DF) abre nesta quarta-feira (26) uma discussão sobre o impacto da alta dos custos de produção na atividade leiteira em 2016. O 2º......

Voltar para Notícias