Postado em 07 de Outubro de 2016 às

Suinocultura comemora liberação para importar milho dos Estados Unidos.

CleanTec do Brasil A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio, Brasília/DF) aprovou nessa quinta-feira (06) a liberação da importação de três variedades de milho...

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio, Brasília/DF) aprovou nessa quinta-feira (06) a liberação da importação de três variedades de milho transgênico dos Estados Unidos.
A medida vem em um contexto cujo desde o primeiro semestre deste ano, quando o País deu início a uma exportação recorde de milho – provocada pela desvalorização do real frente ao dólar – houve uma forte redução da oferta do grão no mercado interno e disparada dos preços, prejudicando a cadeia produtiva de suínos, que tem no milho uma das suas principais fontes de alimentação. Por outro lado, a forte seca ocorrida no Centro Oeste, que ocasionou a quebra na produção brasileira e mais de 13 milhões de toneladas, corroborou para que o preço do milho se mantivesse em um patamar incompatível com a sustentabilidade da produção de suínos no País.
A aprovação atende a um dos pleitos da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS, Brasília/DF) defendido na audiência pública ocorrida no último dia 04, na Câmara dos Deputados em Brasília, e será um importante aporte para que os suinocultores consigam reduzir seus custos de produção. Leia mais...

Veja também

Ação integrada imunizará rebanho venezuelano com auxílio do Brasil.21/07/17 Durante reunião da Comissão Sul-Americana para a Luta Contra a Febre Aftosa (Cosalfa) foi aprovada uma resolução para realizar uma ação integrada entre o Brasil e a Colômbia na Venezuela. O objetivo é apoiar os venezuelanos a imunizar e inspecionar o rebanho bovino contra aftosa e fazer exames sorológicos. A Venezuela ainda não é livre da......
Suiaves acredita no potencial da aquacultura e espera mudanças em 2018.05/10/17 Um ano de mudanças: é assim que o sócio-diretor da Suiaves (Piracicaba/SP) e da Ammco Pharma (Piracicaba/SP), Luiz Eduardo Conte, define 2017. Foram tantos acontecimentos, naturais do mercado ou não, que a empresa precisou suprir......
Cinco semanas de queda de preços desvalorizam carne bovina em 6%06/02/17 O ano começou difícil para a indústria frigorífica brasileira. Até agora, o mercado de carne bovina segue sem apresentar alta. São cinco semanas de quedas de preços, mais de 6% de desvalorização......

Voltar para Notícias